Foto e uma cena famosa em que uma belíssima atriz entra em uma fonte, em seu vestido de gala, do filme "La Dolce Vita"

La Dolce Vita

Foto e uma cena famosa em que uma belíssima atriz entra em uma fonte, em seu vestido de gala, do filme "La Dolce Vita"O nosso poder de escolha é tão grande que mal nos damos conta dele.

O que torna as coisas mais difíceis, porque as leis que regem a nossa existência não conhecem o conceito de peninha, então simplesmente cumprem a sua parte no funcionamento do Universo. Elas não nos julgam, nem ficam ponderando no nosso lugar se vamos gostar daquilo que desencadeamos.

Somos como clientes num restaurante fino, atendidos por garçonetes espartanas. Vamos receber aquilo que pedimos assim que o prato ficar pronto na cozinha, mas elas não estão nem aí se nós sabemos ler o cardápio ou não. E a conta sempre chega, infalível, para todos os pedidos,  quer tenhamos gostado ou não. Ignorância, nesse caso, não é desculpa, já que podíamos ter pedido ajuda ou orientações a qualquer momento e evitar de pedir língua cozida quando queríamos brócolis ao vinho, mas ficamos com vergonha de admitir que não entendíamos bem o que estava no menu.

Elas nunca se recusaram a nos ajudar, mas também não vão ficar correndo atrás de nós. Afinal, quem não pediria ajuda quando precisa?

Pior ainda é quando nós trazemos o cardápio de casa. Tipo aquele cara que quer comer salsicha, podendo comer pratos tailandeses, franceses, as iguarias mais deliciosas, dispostas em tantos cardápios que estariam ao seu alcance. Surpreendentemente, a garçonete espartana não se abala, e lá volta ela, com as salsichas. E sem molho, aliás, porque ele só queria salsicha.

O sujeito pode se refestelar com suas salsichas, focado no seu pratinho conhecido, mas eventualmente vai ficar curioso com os aromas que chegam a ele das mesas vizinhas, e, quem sabe um dia, se arrisca a comer lagosta.

Muitas das coisas que atravessamos são situações análogas a esse jantar.

Temos dentro de nós, em estantes e pilhas enormes, uma porção de cardápios, que acessamos conforme a nossa vontade. Infelizmente, muitas vezes nos restringimos a pegar somente aqueles que estão sempre à mão, desanimados com a perspectiva de ter que arrumar toda a bagunça das nossas estantes internas.

Daí ficamos sempre comendo as mesmas coisas, e mesmo estando enjoados daquilo, por causa da preguiça.

Nesses cardápios supostamente fáceis se encontram diversos pratos, nada apetitosos: somos inerentemente maus, a vida é difícil, não merecemos coisas boas, Deus é cruel, Deus castiga, é ruim assumir responsabilidades, temos que ser perfeitos, errar é uma vergonha etc etc etc.

Mais ainda, as nossas estantes são administradas por alguns bibliotecários corruptos, nosso ego e a mente coletiva, que insistem em manter o status quo, para se manterem na posição de decidirem o que nós vamos comer,  nos fazendo acreditar que aqueles poucos pratos são tudo que há disponível no restaurante onde almoçamos e jantamos todos os dias, e nem ouse duvidar, que eles já pesquisaram na internet.

E a gente, numa mistura de ingenuidade com preguiça, comendo salsicha seca todos os dias.

Mas o fato é que esse restaurante que frequentamos na verdade se chama La dolce vita, e existe justamente para que o Criador que existe através de nós possa simplesmente desfrutar de tudo que está disponível na cozinha, e também dos pratos de porcelana, da música ao vivo, da ótima companhia que está no bar e nas mesas ao lado. A gente nunca reparou, mas a garçonete também é hostess, comediante e produtora de eventos, apesar de continuar espartana, e pode atender-nos com muitas outras coisas além de comida.

Quando o Criador em nós decidiu mergulhar nessa existência, não foi para atravessar sofrimentos e mortificações, mas para simplesmente viver. As qualidades das experiências dependem das nossas percepções, e são atribuídas por nós. Da mesma forma que existe quem é chocólatra, existem aqueles que não comem chocolate por nada, mas nenhum dos dois têm que ser infeliz por isso. A decisão que uma determinada experiência é ruim é feita por nós, individualmente.Ambos podem se sentir felizes respeitando seus paladares, ou, então, o chocólatra pode decidir que comer chocolate é pecado, ou o outro decidir que tem que comer chocolate para ir para o céu.

De qualquer forma, chocolate é chocolate, e o chef também sabe fazer pudim de leite. E paçoca.

Apesar de tudo, eventualmente vamos todos rir muito das nossas escolhas dietéticas, conforme formos aprendendo com elas, e também aprendendo a saborear novos pratos. Esse grande restaurante ainda está cheio de surpresas, bastando que nós vençamos nosso orgulho e algum dia abordemos a garçonete, pedindo orientações ou até mesmo, quem sabe um dia, aceitando a sugestão do chef.

Life is Sweet

Natalie Merchant

It’s a pity, it’s a crying shame
Who pulled you down again?
How painful it must be
To bruise so easily inside
It’s a pity, it’s a downright crime
It happens all the time
You want to stay little daddy’s girl
You want to hide from the vicious world outside
Don’t cry, you know the tears will do no good
So dry your eyes
Oh, your daddy, he’s the iron man
Battleship wrecked on dry land
Your mamma she’s a bitter bride
She’ll never be satisfied, you know
And that’s not right.
But don’t cry, you know the tears will do no good
So dry your eyes
Oh, they told you life is hard
Misery from the start,
It’s dull, it’s slow, it’s painful
But I tell you life is sweet
In spite of the misery
There’s so much more, be grateful
Well, who do you believe
Who will you listen to
Who will it be
’Cause it’s high time that you decide
In your own mind
I’ve tried to comfort you
I’ve tried to tell you to be patient
They are blind, and they can’t see
Fortune gonna come one day
They’re all gonna fade away
Your daddy the war machine
And your momma the long and suffering
Prisoner of what she cannot see
For they told you life is hard
Misery from the start,
It’s dull, it’s slow, it’s painful
But I tell you life is sweet
In spite of the misery
There’s so much more, be grateful
So, who will you believe
Who will you listen to
Who will it be
’Cause it’s high time that you decide
It’s time to make up your own
Your own state of mind
Oh they told you life is long
Be thankful when it’s done
Don’t ask for more, be grateful
But I tell you life is short
Be thankful because
Before you know it
It will be over
’Cause life is sweet, life is also very short
Life is sweet and life is also very short
Life is sweet

 

A vida é doce

Natalie Merchant

É uma pena, é de morrer de vergonha
Quem foi que te pôs para baixo de novo?
Como deve ser dolorido
Se ferir tão facilmente no interior
É uma pena, é um baita de um crime
Acontece o tempo todo
Você quer permanecer a filhinha do papai
Você quer se esconder do mundo feio lá fora
Não chore, você sabe que as lágrimas não servem de nada
Então seque os olhos
Ah, seu pai, é o homem de ferro
Um navio de batalha encalhado em terra firme
Sua mãe é uma noiva amarga
Ela jamais ficará satisfeita, você sabe
E isso não é certo.
Mas não chore, você sabe que as lágrimas não servem de nada
Então seque os olhos
Ah, eles te disseram que a vida é dura
Miséria desde o início,
Tediosa, lenta e dolorosa
Mas eu te digo, a vida é doce
Além de toda a miséria
Existe muito muito mais, seja grata
Bem, em quem você vai acreditar ?
Quem você vai escutar?
Quem será?
Porque agora é o melhor momento de você se decidir
Na sua própria mente
Eu tentei te consolar
Eu tentei te dizer para ter paciência
Eles são cegos, e não podem ver
Fortuna vai chegar um dia
Eles vão todos se desvanecer
Seu pai, a máquina de guerra
E sua mãe, a prisioneira eterna e sofrida
Daquilo que ela não pode enxergar
Pois eles te disseram que a vida é dura
Miséria desde o início,
Tediosa, lenta e dolorosa
Mas eu te digo, a vida é doce
Além de toda a miséria
Existe muito, muito mais, seja grata
Então, em quem você vai acreditar?
A quem vai ouvir?
Quem será?
Porque agora é o melhor momento de você se decidir
É hora de decidir o seu próprio
O seu próprio modo de pensar
Ah, eles te disseram que a vida é comprida
Que alívio quando acabar
Não peça por mais, se conforme
Mas eu te digo que a vida é curta
Seja grata porque
Antes que você perceba
Ela acabará
Porque a vida é doce, e a vida também é muito curta
A vida é doce, e a vida também é muito curta
A vida é doce

Deixar uma resposta

  • (will not be published)

XHTML: Pode usar estas marcas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>