Um relógio de pulso que no lugar dos ponteiros tem escrito a palavra inglesa "NOW".

Presente

Um relógio de pulso que no lugar dos ponteiros tem escrito a palavra inglesa "NOW".Há sempre novas maneiras de fazer as coisas.

É assim que realizamos o nosso poder Criador, procurando manifestar o novo. Mesmo quando fazemos alguma coisa supostamente igual, podemos aguçar a nossa percepção e realmente estar presentes no que estamos fazendo. Com isso, vamos descobrir que a mesmice é uma ilusão, porque nós somos diferentes em cada repetição daquela ação ou atividade, portanto não pode estar tudo igual.

Se nos concentrarmos e realmente percebermos que tudo está igual, pelo menos uma coisa mudou: nossa percepção. Porque, antes disso, estávamos fazendo tudo igual, e nem sequer estávamos conscientes disso. A partir desse ponto, da percepção da mesmice, passamos a ter o poder de descobrir o que em nós está causando a existência de uma coisa assim tão afastada do natural. A Natureza, como facilmente percebemos, é a maior criadora de diferenças, das mais sutis às mais estarrecedoras.

Ou seja, o natural, o fácil, aquilo que flui no caminho da menor resistência, é aquilo que cria a diferença. Cada novidade que trazemos adiciona uma nova peça ao quebra-cabeça do Universo. Estamos colaborando com a sua expansão.

A consequência inevitável disso, mas que não percebemos, é que se estamos fazendo tudo sempre igual, vivendo uma vida repetitiva, não só estamos negando aquilo que é Deus em nós, mas também estamos despendendo uma quantidade enorme de energia.

E o estranho é que sempre escutamos é que mudar é difícil. Nos envolvemos numa idéia claramente ilusória, enganosa, e nunca nos damos conta disso. Novamente, mudar é o natural, tudo muda, portanto isso tem que ser a coisa mais fácil do mundo.

Nos envolvemos tanto em ilusões que não percebemos nada além delas. E uma ilusão se camufla na outra, formando um todo aparentemente coeso, que nos envolve completamente. É como no filme “O Show de Truman”, onde o protagonista vive em um mundo artificial, que para ele é absolutamente normal, mas, para quem está assistindo o filme, as esquisitices do mundo em que ele vive são gritantes, afinal conseguimos ver tudo de um ponto de vista diferente, e comparamos o mundo dele com o nosso.

Nesse filme, o mundo de Truman é supostamente perfeito, mas nós, como espectadores, não podemos deixar de imaginar o quanto de vida que ele não está experienciando, e temos vontade de querer mostrar a ele que existe um mundo muito maior do que aquela cúpula onde ele vive. Ao retratar uma situação em que um homem vive toda sua vida em um ambiente artificial, esse filme evidencia o mundo artificial que construímos para nós, ao nos agarrarmos ao ilusório.

É por isso que recebemos tanta ajuda da espiritualidade mais elevada, porque sequer concebemos o tanto de Vida que estamos deixando de experienciar.

Qualquer momento, quando o degustamos, se torna especial, porque se revela infinitamente valioso, já que é único. Nunca mais se repete, mas, por outro lado, é imediatamente seguido por outro momento tão valioso quanto, e assim eternamente.

O mais comum, no entanto, é deixarmos tudo isso passar ao léu, porque nos focalizamos em especulações sobre o futuro ou reminiscências do passado. O presente é um presente que é raramente aberto.

Temos como certo que é possível viver mais do mesmo, uma crença tão firme que selecionamos nossas vivências e percepções para ajustar o agora ao que esperamos que vá acontecer. E, num esforço supremo de auto-flagelação, quando isso não acontece, nos decepcionamos, perdendo mais alguns agoras para pensar no que deveria ter acontecido. E quando não nos decepcionamos, algo também não está muito bem, porque, se tudo ocorreu conforme havíamos previsto, provavelmente deixamos de perceber uma boa parte do novo, preocupados em preencher os pré-requisitos das nossas expectativas.

Uma boa parte do nosso mundo ilusório de Truman é formado pelas nossas expectativas, quando nos apegamos a elas, deformamos a existência numa repetição, e nos afastamos do novo, e assim, também, do Criador em nós.

Paradoxalmente, quanto mais nos concentrarmos no presente, mais vamos perceber a miríade de maravilhas que já nos cercam, mas não notávamos, e vamos viver, cada vez mais, momentos inesquecíveis, mas sem apego, porque temos a certeza que esse fluxo de coisas boas é eterno.

Eterno não é aquilo que é para sempre, mas aquilo que não tem tempo.

Stay (Wasting Time)
by Dave Mattews Band
 
We were walking
Just the other day
It was so hot outside
You could fry an egg
Remember you were talking
I watched as sweat ran down your face
Reached up and caught it at your chin
Licked my fingertip
Wasting time
Let the hours roll by
Doing nothing for the fun
Little taste of the good life
Whether right or wrong
Makes us want to stay, stay, stay
For awhile
Later on the sun began to fade
Then the clouds rolled over our heads
And it began to rain
Oh we were dancing mouths open
Splashing tongue taste
For a moment this good time would never end
You and me
You and me
Just wasting time
I was kissing you
You were kissing me love
From good day into a moonlight
Now a night so fine
Makes us wanna stay, stay, stay, stay for awhile
Wasting time
I shall miss these things
When it all rolls by
What a day
Wanna stay, stay, stay, stay for awhile
Hey love
Oh just groping you
Rolling in the mud
Stay a while
Come on love
Wanna stay, stay, stay, stay for awhile 
 
 
Fica (Jogando tempo fora)
de Dave Matthews Band
 
A gente estava andando
Esses dias mesmo
E estava tão quente
Que dava para fritar um ovo lá fora
Lembra, você estava falando
Eu ficava só olhando enquanto o suor escorria pelo seu rosto
Levantei a mão e o limpei na sua bochecha
Lambi os dedos
Jogando o tempo fora
Deixe as horas passarem
Fazendo nada pelo simples prazer
Uma amostra de boa vida
Não importa se é certa ou errada
Faz a gente querer ficar
Mais um pouco
Mais tarde o sol começou a desbotar
Daí as nuvens cobriram o céu
E começou a chover
Ah, nós estávamos dançando com as bocas aberas
Nos lambuzando no sabor das línguas
Por um momento esse bom tempo era infinito
Eu e você
Jogando o tempo fora
Eu estava te beijando
Você estava me beijando
De um dia legal chegando o luar
Agora uma noite tão gostosa
Faz a gente querer ficar um pouco mais
Deixando o tempo passar
Eu vou sentir falta disso tudo
Quando isso tudo passar
Que dia!
Quero ficar um pouco mais
Amor
Ah, só te agarrando
E rolando na lama
Fica um pouco mais
Vai, amor,
Eu quero ficar por um momento

Deixar uma resposta

  • (will not be published)

XHTML: Pode usar estas marcas: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>